Série audiovisual criada na Uern é reconhecida por boa prática na comunicação pública

por Bruno Soares

Uma iniciativa audiovisual criada na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern) figura em um material lançado pela Associação Brasileira de Comunicação Pública (ABCPública) e pela Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje) como exemplo de boa prática na comunicação pública no Brasil. A série Alô, Comunidade teve sua primeira temporada lançada em junho desse ano e, através de parcerias, está se espalhando pelo país através das tv’s universitárias, Canal Futura e a plataforma de streaming Globoplay.

O Alô, Comunidade foi criado como uma série para TV, com foco em ações extensionistas desenvolvidas pelas universidades e institutos federais em diálogo com comunidades, em diferentes regiões do país.

A iniciativa se originou na Uern, contou com a parceria inicial da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e depois se estabeleceu como uma extensa rede de colaboração entre instituições, tendo como fonte de inspiração o UniverCiência, programa com foco na popularização da ciência, criado em 2020, pela televisão educativa da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, a TV Uesb. A proposta então era desenvolver um programa similar ao UniverCiência, agora com foco na extensão.

A primeira temporada, com seis episódios, passou a ser exibida em junho de 2023 e a segunda temporada deve ser lançada em novembro. A rede cresceu com o êxito da primeira temporada e agora integra 50 diferentes instituições de ensino superior, entre federais, estaduais, municipais ou privadas, sob a coordenação compartilhada da Uern, UFS e Canal Futura.

Criador da série, o professor Esdras Marchezan, do curso de Comunicação Social e pró-reitor de Extensão da Uern, lembra que boa parte da audiência do Canal Futura é composta por educadores, e que o material produzido para o Alô, Comunidade é replicado em salas de aula, mas também em praças e outros espaços de educação não formal.

Para o futuro, as articulações com mais emissoras públicas é uma das prioridades.

“Quanto mais canais, maior o alcance da mensagem: a universidade é um patrimônio do povo brasileiro”, enfatiza Esdras. Segundo ele, há ainda um distanciamento da sociedade em relação às universidades e institutos federais, como lugares nos quais não se está autorizada a entrar, quando o que o programa Alô, Comunidade demonstra é que a universidade se realiza na relação com a sociedade, especialmente por meio da extensão.

Para o professor Fabiano Morais, diretor da Uern TV, ter um projeto reconhecido em nível nacional como case de sucesso na comunicação pública e que teve a origem na Uern é motivo de orgulho.

“O Alô Comunidade mostra um pouco do que as instituições de ensino superior produzem pelo país. E nós quando pensamos nisso, fomos super bem atendidos pela UFS, nossa parceira, e pelo Canal Futura, ao qual mantemos nove anos de uma produtiva parceria”, comentou.

Na opinião de Acácio Jacinto, gerente adjunto do Futura, a produção em rede com as instituições garante, ao canal, conteúdo com alta qualidade, fora do eixo de produção Rio-São Paulo e com diferentes sotaques, diversificação
que a emissora valoriza.

Acessos

Clique AQUI para assistir todos os episódios da série. Confira o material Comunicação Pública: Casos Excelentes, volume II, com o caso da Uern (página 91) e das outras instituições analisadas.

Resultados

Segundo o relatório DataFolha, aproximadamente 46 milhões de pessoas declararam assistir à programação do Alô, Comunidade, nos horários em que a série foi ao ar na tela do Canal Futura. O Ibope informa que a série alcançou, somente na TV por assinatura, 24 mil indivíduos por minuto.

Na semana da estreia, o Alô, Comunidade alcançou mais de 12,5 milhões de pessoas, sendo o segundo programa mais assistido no Futura, no primeiro semestre 2023.

Mais Posts