Primeira mulher condutora de ambulância do SAMU RN é da cidade de Areia Branca

por Mossoró Notícias

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência do Rio Grande do Norte (SamuRN) inicia 2024 com um marco em sua história. A técnica de enfermagem Antônia Vanécia Fernandes tornou-se a primeira mulher a conduzir uma ambulância do serviço, que é a excelência em atendimento pré-hospitalar de urgência e emergência. A profissional, após ser aprovada no curso de formação, já iniciou sua atuação na base descentralizada do Samu no município de Areia Branca.

“Nós, mulheres, não medimos forças, buscamos nosso espaço e somos capazes de atuar onde quisermos. Estar hoje na posição de primeira condutora do Samu RN é a certeza de que, quando nos esforçamos, com fé e força, somos capazes de realizar nossos sonhos. É muito gratificante fazer o que gostamos e eu amo a condução associada ao socorro prestado em cada chamado. O Samu é uma escola para a vida, uma experiência única. Sinto um enorme respeito por todos os guerreiros que correm contra o tempo para salvar vidas e sou muito grata por poder contribuir com essa missão”, comemora Antônia Vanécia.


Atualmente o Samu RN conta com aproximadamente 220 condutores de ambulância. Para se tornar a primeira mulher do estado nessa função, a técnica de enfermagem percorreu um longo caminho. Como pré-requisito básico e essencial para pleitear a vaga, foi necessário realizar com êxito o curso básico de Condução de Veículo de Urgência e Emergência, de 50 horas. Além disso, é necessário possuir carteira de habilitação D ou E e não ter cometido infração grave ou gravíssima nos últimos 12 meses.

A etapa seguinte da seleção consiste na realização do processo admissional, conduzido pelo Núcleo de Educação Permanente do Samu RN, na base de Macaíba. Esse processo é composto por provas teóricas e práticas de suporte básico de vida, prova de volante e de aptidão física. Após a conclusão dessas etapas, o candidato que comprovar sua aptidão vai cumprir os chamados “plantões sombra”, seis no total, com carga horária equivalente a um mês de trabalho. Se for aprovado, é finalmente considerado apto a exercer a função de condutor de ambulância.

“Para nós do Samu RN sermos pioneiro em contar com uma condutora de ambulância mulher no estado é uma satisfação enorme, porque demonstra que mesmo em uma atividade tradicionalmente masculina como essa, a mulher pode pleitear seu espaço e obter êxito, colocando por terra toda a narrativa de que a mulher tem que estar restrita a essa ou outra atividade”, destacou o coordenador administrativo do Samu RN, Caio Santos.

Mais Posts