Noruega exige que publi posts indiquem retoques no corpo e na pele

Para diminuir os casos de dismorfia corporal*, a Noruega agora exige que publi posts editados digitalmente contenham um aviso sobre as alterações na foto ou vídeo. 

O país é mais um a criminalizar o uso de imagens “retocadas” em publicidade nas redes sociais sem que os consumidores sejam informados. A decisão do Ministério da Criança e da Família prevê multa e até prisão a quem descumprir a nova regra.

Exemplo: Preta Gil, em seu perfil no Instagram, faz alerta sobre aceitar o próprio corpo.

Estudos apontam que o transtorno dismórfico corporal aparece mais em mulheres entre os 18 e 30 anos. O aumento no número de cirurgias plásticas em jovens e adolescentes, que no Brasil cresceu 140% em 10 anos, também está relacionado à pressão por perfeição vista nas redes sociais.

*Doença mental que envolve um foco obsessivo em um defeito que a pessoa considera ter na própria aparência.

O defeito pode ser pequeno ou imaginado. Mas a pessoa pode passar horas por dia tentando corrigi-lo. A pessoa pode experimentar muitos procedimentos estéticos ou se exercitar em excesso.
Indivíduos com esse transtorno costumam examinar sua aparência no espelho com frequência, compará-la constantemente com a dos outros e evitar situações sociais ou fotos.
O tratamento pode incluir terapia e medicação antidepressiva.


Comum
Casos por ano: mais de 150 mil (Brasil)
O tratamento pode ajudar, mas essa doença não tem cura
Requer um diagnóstico médico
Não requer exames laboratoriais ou de imagem
Crônico: pode durar anos ou a vida inteira
Apenas para fins informativos. Consulte um médico de confiança para receber orientações adequadas.
Fonte: Hospital Israelita A. Einstein

Mais Posts