Intolerância à Lactose, o que você sabe?

Atualmente, cerca de 70% da população mundial adulta apresenta algum tipo intolerância à lactose, só no Brasil, esse número chega a 44%. A intolerância à lactose nada mais é que a incapacidade total ou parcial do corpo digerir a lactose, ou seja, o açúcar do leite e de outros produtos lácteos. O que difere da Alergia à Proteína do Leite de Vaca (APLV), essa, é uma resposta adversa do nosso sistema imunológico (nosso sistema de defesa) a alguma das proteínas encontradas no leite. E acomete principalmente crianças entre 0 à 5 anos de idade.

A intolerância à lactose apresenta-se de três formas diferentes:

Primária: É resultado do envelhecimento. Durante a infância nosso corpo produz bastante lactase (enzima que digere a lactose), mas com o passar dos anos, essa produção diminui e essa baixa produção pode levar a uma intolerância.

Secundária: É geralmente temporária e é causada por alguma lesão ou doença que venha a prejudicar a mucosa intestinal, como por exemplo, uma doença celíaca não tratada. A intolerância pode se tornar permanente se a lesão for irreversível, como no caso de alguma cirurgia com ressecção intestinal, onde uma parte doente do intestino é retirada.

Congênita: A pessoa já nasce com o problema. É raro, mas pode acontecer da criança já nascer sem produzir lactase. Nesse caso é genético, o pai ou a mãe transmitiram o gene da intolerância para a criança.

Hoje em dia já está muito mais fácil conviver com essa intolerância, a indústria apresenta inúmeras versões de produtos sem lactose e até mesmo a própria lactase em compridos, para serem consumidos antes de uma refeição com ou a base de leite. Como também focando nesse grupo, inúmeras receitas “sem lactose” já foram criadas e testadas, na internet fica fácil encontra-las, é só procurar.

Os principais grupos de riscos para desenvolver a intolerância são adultos, bebês que nasceram prematuros, pois apresentam menores concentrações de lactase no organismo e pessoas com alguma doença que afete o intestino.

Os principais sintomas da intolerância são: Diarreia, inchaço e dores abdominais, náuseas e vômitos. E podem ocorrer de 30 minutos a 2 horas após o consumo da lactose.

É preciso ficar atento aos rótulos, qualquer produto que contenha leite ou traços de leite pode levar ao desenvolvimento dos sintomas. Em casos mais graves, até mesmo o consumo de alimentos que tenham passado por utensílios que tenham tido contato com alimentos que contenham lactose pode levar a algum desconforto.

Uma opção de leite para os intolerantes são os vegetais, e desses, as variedades são grandes: Leite de arroz, amêndoas, soja, amendoim, linhaça entre outros, geralmente bem fáceis de fazer.

O leite de arroz, por exemplo, apresenta textura bem fina, você só vai precisar cozinhar com 1 litro de água para cada xícara de arroz (integral ou branco) por 15 minutos, depois é só bater no liquidificador e coar, tá pronto o leitinho!

Se você já é, ou acabou de descobrir essa intolerância, fico feliz em dizer que isso não vai ser o fim do mundo para você, de toda forma, procure um profissional capacitado ele irá te orientar da melhor maneira possível.

Marina Castro – Nutricionista – CRN 21432/P

Mais Posts