Fazer dieta é realmente mais caro?

por Marina Castro - Nutricionista – CRN 21432/P

Ano novo, tudo novo.

E a partir disso, várias promessas e metas a serem compridas. Perder aqueles quilinhos tão indesejados, entrar em forma e seguir a dieta à risca, geralmente são itens certos nessa lista. Mas por qual motivo é tão difícil perder peso e começar uma reeducação alimentar?

Um dos argumentos que mais ouço quando se trata de começar uma dieta é o seu custo. Afinal, a partir de agora, você terá uma nova lista de alimentos que farão parte do seu dia-a-dia e que precisarão ser comprados.

Mas será que as dietas são realmente mais caras do que os salgados que comemos na faculdade/trabalho todos os dias?

A resposta é: DEPENDE!

Se sua dieta envolve: Biscoito sem glúten ou supostamente integrais, produtos zero açúcar, torradinhas industrializadas e queijos ultra light e finos, dentre outros inúmeros produtos que encontramos no supermercado vendidos como saudáveis. É, acredito sim que no final do mês essas compras vão pesar no seu bolso.

A boa notícia é, reeducação alimentar não tem absolutamente nada a ver com esses produtos caros e muitas vezes difícil de encontrar! Mas está sim extremamente relacionada a disciplina, organização e força de vontade.

Reeducar significa reduzir porções, fazer escolhas inteligentes e acredite em mim, isso não custa caro.

Mas nutri, como é isso de escolhas inteligentes?

Aposte nos alimentos NATURAIS!! Esqueça todas essas embalagens, e lembre-se: Alimento de verdade não tem ingrediente, é ingrediente. Desconfie de tudo que vêm em uma embalagem, ou quase tudo.

  • · Frutas e verduras são a base de toda e qualquer alimentação balanceada, e geralmente costumam ser baratas. A dica é, dê preferência as da estação, além mais saborosas, nesse período esses alimentos são mais saudáveis, pois por serem produzidos nas condições climáticas ideias, se desenvolveram melhor, oferecendo assim, mais nutrientes. Além disso, nesse período o uso de agrotóxicos pode ser dispensado. Também prefira as frutas da sua região, quanto mais perto de você, mais barata. E claro, de sua preferência. Ah, e quando você perceber que elas estão perto de estragar, é hora de congelar, tire a casca e coloque em um recipiente no congelador.
  • · Quanto as folhas, o ideal é higieniza-las, secá-las e guardá-las na geladeira em um recipiente bem fechado, isso fará com que elas durem mais tempo.
  • · Para proteína prefira o frango e peixes baratos como sardinha, essas são de ótima qualidade e ricas em nutrientes e gordura boa. Inclua ovos na sua alimentação sem medo, eles são ricos em proteínas, contém poucas calorias e ainda ajuda no combate de doenças cardiovasculares. E nada de embutidos como presunto e peito de peru.
  • · Para os carboidratos a dica é maneirar na porção, prefira as raízes como macaxeira, batata, cará e inhame ao invés das massas.
  • · E quanto a gordura, esqueça a margarina! Prefira a manteiga ou o azeite de oliva. Procure acrescentar abacate, castanhas e sementes como chia e linhaça. Esses itens sim, podem até custar um pouco mais caro, mas te darão uma maior saciedade e geralmente durão bastante tempo, afinal, você não consumirá tudo de uma só vez.
  • · Leite, iogurte e coalhada são tudo de bom, e dá pra fazer em casa.

E aí, será que é realmente assim tão caro ter uma alimentação saudável?

Caro é a conta do hospital, quando você parar lá devido aos inúmeros problemas de saúde causados pelo excesso de peso. Caro é pagar a academia e não ir. É olhar no espelho e não gostar do que vê. Caro são dietas drásticas e cirurgias de solução rápida. Cuidar da sua alimentação não é gasto, é investimento.

Invista em você!!

Marina Castro – Nutricionista – CRN 21432/P

Mais Posts