Vontades – HISTÓRIA E POESIA

por Solange Santos

Quando paro e penso no que vivi, percebo o quanto sobrevivi por muitos anos.

Morta para os meus sonhos, minhas vontades e meus anseios, quantos planos que não coloquei em prática movida por um medo de ser feliz.

Muitas pessoas quando olham para mim dizem que pareço uma menina extrovertida. Mas o interessante é que essa menina não estava comigo na infância.

Existia outra em seu lugar, uma cheia de melancolia, abatida, envergonhada e ingênua que não conseguia enxergar a maldade no coração das pessoas.

Mas eu cresci e realizei vôos de adultos. Mas aquela menina teimava em ficar em mim, lembrando o quanto eu deixei de viver e ser feliz.

Será que ainda dá tempo de realizar o que sempre esteve no meu coração?

O tempo está passando e ele trás consigo grandes responsabilidades. Hoje já não sei o que quero, mas sei o que espero.

Espero viver um grande amor recheado de carinho e razão, a minha razão desajuizada, que me leva seguir numa estrada a procura da tal felicidade vivida com liberdade.

Foto: Pacífico Medeiros

Solange Santos – Comunicóloga graduada pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN – Poetisa nas horas da vida

Mais Posts