Sessão EQUILÍBRIO ALIMENTAR: Qual a diferença entre os alimentos?

por Marina Castro – Nutricionista – CRN 21432/P

Atualmente, existem no mercado uma grande variedade de produtos, e é natural que o consumidor fique confuso com os termos usados pela indústria na hora da compra. Light, diet, natural, integral, orgânico, transgênico, o que isso quer dizer, você sabe? Descubra agora!

Produtos Light e Diet são item certo na lista de compras das pessoas que querem adquirir um novo hábito alimentar. Muitos consumidores acreditam que esses são porções mágicas de emagrecimento e acabam confiando neles para perder peso ou apenas, comer melhor. Mas será que estão usando da forma certa? Vejamos:

Light (leve em inglês) é sinônimo de reduzido. Esses alimentos apresentam redução de no mínimo 25% na quantidade de algum ingrediente presente ou na quantidade de calorias comparado ao alimento original. A redução pode ser de sódio, açúcares, gorduras totais ou saturadas e colesterol. Um produto light não é necessariamente um produto com pouca gordura. São indicados para pessoas que querem ou precisam consumir alimentos com uma menor quantidade de algum desse nutrientes mencionados.

Diet (dieta, em inglês) esses produtos passam por um processo de modificação em sua composição original, havendo a retirada total de algum nutriente presente de forma particular, como açúcar, sal ou gordura. São geralmente indicados para pessoas com patologias específicas que possuem alguma restrição alimentar, por exemplo, os diabéticos.

Atenção! Com a retirada ou redução de algum ingrediente, outros são usados para a reposição, exemplo dos refrigerantes sem açúcar, esses contêm uma maior quantidade de sódio.

Integral diferente dos alimentos refinados, os ingredientes e grãos passaram por um processo de moagem que preserva o gérmen, fibras, vitaminas e minerais. Para um produto ser considerado integral ele precisa ter em sua composição uma maior quantidade de cereais integrais do que os demais ingredientes. Então é preciso ler o rótulo! A lista de ingredientes sempre está em ordem decrescente de quantidade, e o ingrediente que tem em maior quantidade deve vir primeiro, e assim por diante. Fique atento.

Natural são os produtos mais próximos de sua origem. Geralmente não passam por processamento e não contém a adição de corantes, conservantes e aditivos artificiais.

Orgânico são livres de agrotóxicos e precisam ser cultivados em um ambiente que considere a sustentabilidade social, ambiental e econômica e valorize a cultura das comunidades rurais.

Transgênico são modificados geneticamente produzidos por meio de técnicas de engenharia genética.

Agora ficou fácil escolher. SEMPRE leia os rótulos antes da compra de algum desses produtos. Prefira os com poucos ingredientes e sem nomes estranhos. Sempre que puder, opte pelo orgânicos.

 Marina Castro – Nutricionista – CRN 21432/P

Mais Posts