Movimento Feminismo pela Democracia

Marcha Mundial das Mulheres, em Mossoró, dará início à programação do 8 de março na quarta, 7, com debate junto ao movimento estudantil seguido de ato público percorrendo as ruas da cidade. Após o ato do dia 7, as militantes seguirão para a capital, onde se somarão a mais de 5 mil mulheres de todo o Estado em defesa da democracia, de direitos e no enfrentamento às violências.

A programação do dia 7 terá início às 14h, no auditório da Faculdade de Enfermagem da UERN, com o debate “Mulheres resistem na universidade e nas ruas”. A atividade está sendo organizada pelo Diretório Central das e dos Estudantes, DCE, da UERN em parceria com a Frente Brasil Popular e Marcha Mundial e tem como objetivo organizar a preparação para o Encontro Nacional de Mulheres Estudantes, EME, que ocorrerá no final de março em Belo Horizonte. Após o debate, às 16h, saindo da Faculdade de Enfermagem em direção à Praça do Pax, as mulheres seguirão em ato público com o tema Feminismo pela democracia: contra a reforma da previdência, contra a violência.

Glisiany Plúvia, coordenadora geral do DCE e militante da Marcha Mundial das Mulheres reforça a importância da unidade entre os movimentos: “essa conjuntura de retrocessos que estamos sofrendo desde o golpe exige muita organização popular e resistência. O 8 de março é a primeira grande agenda dos movimentos sociais e somos nós, mulheres, que, levantaremos a bandeira da democracia, contra as reformas que tiram nossos direitos e as violências sexistas e as que enfrentamos enquanto classe trabalhadora.”

No dia 8, as marchantes se somarão a mulheres de todo o Estado nas ruas de Natal: em defesa da democracia, da aposentadoria e contra as violências. A pauta em comum aborda a conjuntura atual e reforça a luta em combate às muitas violências contra a mulher. O ato estadual começará às 15 horas com concentração em frente à sede do INSS, na rua Apodi.

Sobre a mobilização em Natal, Conceição Dantas, da coordenação da Marcha Mundial das Mulheres conta que “serão mais de 500 mulheres de Mossoró e região que se somarão às companheiras de todo estado na capital. Esse esforço de reunir as mulheres será uma forte resposta aos retrocessos. 8 de março é dia de luta e é com muita luta que seguiremos em marcha até que todas sejamos livres.”.

Fotos: Arquivos do Centro Feminista

Mais Posts