Liberdade de Imprensa em debate

Por iniciativa da Organização das Nações Unidas, desde 1993 é comemorado no dia 3 de maio o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. Para marcar a data, o Conselho de Comunicação Social do Senado elaborou uma carta, lida pelo presidente do colegiado, Miguel Ângelo Cançado. O dia, idealizado pela Unesco, tem por objetivo propor uma reflexão a respeito dos desafios da imprensa na atualidade, como expressão maior da promoção da democracia e da liberdade.

Apesar de registrar a importância de celebrar a data, o Conselho repudiou “qualquer tentativa de cerceamento da atividade da imprensa e condenou as agressões sofridas ultimamente pelos profissionais da mídia e pelas empresas de comunicação”. Foi convidada para debater o assunto, a representação da Unesco no Brasil. O coordenador de comunicação e informação da entidade, Adauto Soares, falou sobre a atuação da organização na defesa do tema. Ele respondeu ao questionamento de conselheiros sobre a posição da Unesco em relação à cobertura que está sendo feita do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Disse: “A mídia deve ser independente, os jornalistas não devem receber pressões externa sobre o seu labor, sobre o seu fazer. O que está acontecendo no Brasil, o Sistema ONU está acompanhando.

O presidente da Federação Nacional dos Jornalistas, Celso Augusto Schroder, disse que é importante que o atendimento da Unesco sobre o cerceamento da liberdade de imprensa vá para entidades que representem o corpo majoritários dos trabalhadores na área da comunicação.

A próxima reunião do Conselho de Comunicação Social do Senado está marcada para o dia 6 de junho. E a UNESCO lançou uma publicação sobre as tendências mundiais sobre a liberdade de expressão e o desenvolvimento da mídia.

Veja AQUI.

Mais Posts