De frente com o espelho – HISTÓRIA E POESIA

por Solange Santos

Hoje ao acordar percebi que minha alma estava triste, então resolvi conversar com ela. Me disse coisas ao meu respeito das quais já tinha esquecido. Me fez rever meus defeitos, o que machucou meu peito.

Diante do meu reflexo, as lágrimas não pude conter. Me vi presa em um corpo deficiente e um coração carente.

Um desejo forte tomou conta de mim, quero ser feliz, mostrar ao mundo que as minhas limitações não são maiores que meu anseio de vencer.

Mas o medo toma conta de mim. Ah como eu queria parar de me esconder, de me mostrar quem realmente sou, mas receio a rejeição ou aquele olhar de pena em minha direção.

Me sinto bloqueada, as vezes desprezada por ser como sou. Queria ter essa tal autoconfiança e enfrentar o mundo inteiro com muita fé e esperança. Mas como farei isso se diante do espelho sinto vergonha do que vejo?

Foto: Pacífico Medeiros

Solange Santos – Comunicóloga graduada pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN – Poetisa nas horas da vida 

Mais Posts