Como ensinar seu filho a se proteger e lidar com o bullying

por Marcell Filgueiras

O bullying contra crianças e adolescentes pode se fazer presente tanto no ambiente escolar quanto durante as férias, na festinha da família, na rua de casa, etc., desse modo, é fundamental que, como mãe (e pai), você fortaleça as bases emocionais da criança. Recentemente, o vídeo de garotinho Keaton Jones, vítima desse mal, viralizou e quebrou a internet com seu apelo para pararem de fazer isso. Assista aqui. O caso do pequeno chamou a atenção inclusive de celebridades, como o cantor Justin Bieber, o ator Chris Evans (Capitão América) e a atriz mirim Millie Bobby Brown, da série “Stranger Things”. Com base nisso, veja como preparar e lidar com essa situação séria, para que seu filho cresça de modo saudável.

Preparando o pequeno

É preciso ter muito cuidado para não se antecipar aos fatos, falando “olha, vão te apontar por isso ou aquilo”, mas você pode dizer para a criança que existem pessoas que não respeitam as diferenças dos outros, que gostam de “zoar” (utilizando a linguagem deles). “Deixe a criança avisada de que não deve se impressionar se isso acontecer com ela, que existe quem goste de fazer brincadeira de mau gosto, de chatear, de dar apelidos grosseiros, são pessoas que precisam de ajuda. Como mãe, se você mesma faz muito drama em volta, talvez o pequeno fique com medo de um mundo que nem venha a sofrer. Ensine que o problema não está na vítima, mas sim no agressor. Isso é uma forma de a criança não se enxergar como inadequada”, diz Betty Monteiro, psicóloga, pedagoga e escritora.

O modelo de comportamento da criança vem dos pais. Uma das recomendações da profissional é mostrar a ela que não precisa ser como todo mundo, “principalmente no ‘ter para ser’ (quando a crença é de que bens materiais a tornarão parte de determinado grupo), deixando-a segura com seus valores e princípios. Converse ainda, sobre a necessidade de fazer parte, de ser aceita, estimulando a autoconfiança dela de modo que não não vá cometer atos, ter comportamentos ou buscar grupos apenas para se sentir inserida. Para isso, os pais precisam ter segurança no que dizem, e devem fazê-lo com firmeza e delicadeza, senão os próprios filhos ficam inseguros, e acabam cedendo às tensões”.

Teens Bullying the Nerd

Como lidar

Desde pequeno, ensine seu filho que, se acontecer algo que o aborreceu ou chateou, ele deve procurar um adulto para entender e resolver a questão, tomando as devidas providências. Segundo Betty, “é comum a criança não procurar esse recurso porque a maioria sofre ameaças do agressor. Sendo assim, dê a garantia de que ela pode falar e que vai ser amparada.

A criança ou adolescente também pode dizer ao agressor que não gostou da forma como foi tratado, de maneira firme, e pedir respeito. “Lembrando que a criança só conseguirá ter essa postura se também se sentir respeitada dentro de casa, tiver esse modelo”, alerta a especialista.

O melhor é sempre ignorar a ação dos agressores, mas, dependendo da idade, a psicóloga afirma que vale bater um papo com a outra criança, chamando-o para a realidade. “É comum que a vítima não tenha noção do porque é zoada, então, nessa conversa, ela pode realmente entender o que leva ao bullying e ainda explicar ao grupo ou à pessoa que a estão perturbando que não é dessa forma que se lida com os problemas. Naturalmente, tudo isso pode ser mediado por um adulto, o importante é mostrar que o diálogo é sempre a melhor solução”.

Por fim, caso a criança seja muito sensível, e realmente não consiga desenvolver as sugestões acima, “vale procurar ajuda profissional, porque há casos que escapam da esfera familiar e escolar”, lembra a expert.

Mais Posts