Browsing Category

Destaque

A última novidade que promete mudar sua vida e fazer emagrecer, a dieta low carb nada mais é, que uma dieta com baixa ingestão de carboidratos. E baseia-se no fato de que havendo restrição de carboidratos, haverá também uma maior oxidação lipídica, promovendo saciedade e um maior gasto energético, levando assim, à perda de peso. Normalmente as recomendações desse nutriente variam em percentuais de 50% a 60% do total da dieta. A low carb propõe uma variação entre 45% e 5%, priorizando sempre os carboidratos de baixo índice glicêmico (os que não elevam muito o açúcar no sangue). Os carboidratos são os nutrientes, responsáveis principalmente pelo fornecimento de energia para o organismo, algumas fontes são: pão, arroz, macarrão, batata, mas também, refrigerantes, doces em geral, entre outros. Então, funciona? É conhecimento de todos que retirando as massas e açúcares se obtém o êxito do emagrecimento com mais facilidade. E isso é verdade! A maioria das pessoas que sofrem com excesso de peso consomem muito carboidrato refinado ou simples (refrigerantes, doces, pão branco, arroz branco). O grande problema é que esses carboidratos são de alto índice glicêmico, ou seja, eles elevam o nível do açúcar sanguíneo rapidamente, o que nos dá uma súbita sensação de saciedade, que logo é cessada e voltamos a sentir fome. Portanto no momento que substituímos o consumo desses alimentos por alimentos fontes de carboidratos complexos (pão integral, aveia, fruta com casca, batata doce), temos menores picos de glicemia, já que esse carboidrato é degradado de forma gradual e a energia oriunda deles nos é dada por etapa, diminuindo a sensação de fome e consequentemente auxiliando na perda de peso. Em verdade, estudos com dietas pobres em carboidratos a curto prazo, vem mostrando outros benefícios além da perda de peso, como diminuição dos níveis de triglicerídeos e aumento do HDL (colesterol bom). Em pacientes diabéticos, mostrou-se uma melhora na resistência a insulina e controle da glicemia. Porém não foi observado baixa nos níveis de LDL (colesterol ruim), o principal fator de risco para doenças cardiovasculares. Estudos a longo prazo devem ser feitos para avaliarmos a real influência dessa dieta no nosso organismo. É preciso ficarmos atentos, "Low Carb" não é "No Carb", carboidratos são a forma mais rápida de produção de energia e assim como os demais nutrientes são de extrema importância para o nosso organismo. Sem eles o nosso corpo ficará fraco e sem energia. Assim como outras dietas da moda, a dieta low carb é restritiva, e dietas restritivas podem causar um déficit de nutrientes a longo prazo. Dessa forma, como toda e qualquer dieta, não comece por conta própria, procure um profissional, só ele saberá se isso vai funcionar pra você e te orientar da melhor maneira possível. O bom e velho equilíbrio continua sendo o segredo para uma vida saudável. Marina Castro – Nutricionista – CRN 21432/P
NOTA O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Norte reprova veementemente a declaração dada nesta terça-feira (8) pelo Governador Robinson Faria de que o trabalho da imprensa potiguar é um dos responsáveis pela sensação de insegurança nos cidadãos potiguares. A declaração do governador desrespeita toda a classe jornalística, além de querer mascarar uma realidade vista nas ruas do Estado e confirmada através de dados de pesquisas e instituições como o Atlas da Violência e o Observatório da Violência Letal Intencional do RN (OBVIO). Num estado onde o número de assassinatos já se aproxima dos 1.500 só em 2017 e que facções impõem medo em diversas partes do Estado, não cabe à imprensa resolver este problema. Isto deve ser uma postura de Governo. À imprensa cabe noticiar os fatos e não omitir informações e dados públicos à sociedade, e é o que colegas jornalistas têm feito todos os dias. Minutos após a equivocada declaração do Governador a uma emissora de rádio de Natal, um tio da primeira dama, Julianne Faria, foi baleado durante o enésimo assalto a uma farmácia da capital potiguar. Precisa dizer algo mais? Reforçamos nosso apoio aos colegas jornalistas em seu trabalho vital para a sociedade potiguar, e nos solidarizamos com as milhares famílias e vítimas de violência no Rio Grande do Norte.
Estamos na Semana Mundial do Aleitamento Materno, e nada mais justo do que trazer para essa coluna a amamentação como tema principal. Segundo a OMS, no Brasil apenas 38,6% dos bebês recebem aleitamento materno exclusivo pelo menos até os 5 meses de idade. Quando é considerado a amamentação até um ano, a taxa sobe para 47%, mas apenas 26% das crianças recebem o aleitamento até os 2 anos de idade. No mundo, apenas 23 países superam a taxa de 60% de amamentação exclusiva nos 6 primeiros meses. A OMS analisou a amamentação em 194 países. Amamentar é um ato natural de todos os mamíferos e é a melhor forma de alimentar e proteger os bebês nos seus primeiros meses de vida. O colostro, como é chamado o primeiro leite produzido pela mãe, horas a pós o parto, é considerado a “primeira vacina”, pois contém proteínas e anticorpos que não conseguiram atravessar a barreira da placenta. Mas infelizmente, mesmo quando a mãe quer amamentar, existem muitas dificuldades e mitos que podem impedir que isso aconteça. - Um deles é o famoso “leite fraco”, ele não existe, mesmo quando a mulher tem algum grau de desnutrição, o leite consegue ser adequado para o bebê. - Bebê gordinho deve mamar menos, isso também não existe, o sobrepeso do bebê nessa fase se dá devido a outros fatores, sejam eles genéticos, biológicos ou endócrinos.   Amamentar não é um conto de fadas, claro que algumas mães tem mais facilidade que outras, mas geralmente a maioria passam por alguma dificuldade, como: - Empedramento das mamas, que geralmente é causada pelo excesso de leite e pode dificultar a pega do bebê, levando a muito dor. Uma dica é retirada do leite antes da mamada e o uso compressas quentes após e frias no intervalo entre as mamadas. - Mastite, uma inflamação na mama causada por bactéria a partir de rachaduras, levando a muita dor, febre e desconforto, podendo causar formação de um abcesso. Nesse caso, o tratamento é feito com antibiótico e um médico deve ser procurado, a amamentação deve ser suspensa. - Insuficiência de leite, a baixa produção de leite pode deixar o bebê com fome, mas isso deve ser avaliado pela baixa frequência de urinas ou curva de crescimento, e se comprovada, a amamentação deve ser complementada e não substituída completamente. Mas tudo isso tem uma causa nobre, o leite materno traz inúmeros benefícios para mãe a para o bebê, como: Contato bebê-mamãe: Que controla a ansiedade e o estresse materno e tranquiliza o bebê, o deixando mais seguro; Fortalecimento da imunidade: O leite  materno contém células de defesas e fatores anti-infecciosos capazes de proteger o organismo do bebê; É o melhor alimento para o intestino: Pois contém enzimas já conhecidas pelo organismo do bebê, diferente do leite de vaca e dos artificiais, que podem levar a alergia; Diminui os riscos de alergias futuras: O esforço para sugar o leite pode ajudar no desenvolvimento dos pulmões do bebê, fortalecendo o órgão contra alergias; Evita cólicas: Pois as proteínas do leite materno não fermentam tanto quanto as demais, dessa forma, produzem menos gazes evitando as cólicas; Entre outras, diminui os risco de doenças crônicas futuras, como a obesidade, ajudar no desempenho cognitivo e no desenvolvimento da arcada dentária. E nada melhor para uma mãe que vê o seu bebê bem, não é? Lembrando que é muito importante o cuidado com a alimentação enquanto estiver amamentando, pois indiretamente o bebê também estará consumindo a mesma coisa que a mãe. O consumo de líquidos é muito importante, pois ajuda no aumento da produção de leite. Evitar comidas industrializadas e muito temperadas, procurar comer carne vermelha de duas a três vezes na semana e feijão todos os dias. Expor os seios ao sol também ajuda a fortalece-los e a evitar rachaduras. Atenção! Até o seis meses de idade o bebê deve receber aleitamento materno EXCLUSIVO, nada de frutinhas, sucos, chás ou água. O leite é tudo que o bebê precisa nessa fase. A mãe deve se alimentar bem para passar sempre o melhor para seu filho (a). Se você já é mãe, está grávida ou pretende, te digo, na prática a teoria é sempre outra, mas bem orientandos evitamos muito sofrimento. Procure um profissional capacitado. Você não está sozinha! Marina Castro – Nutricionista – CRN 21432/P
A apresentadora Lilian Martins retornou das férias ao Manhã TCM nesta segunda-feira, celebrando os 13 anos do programa matinal do TCM 10 HD (TV Cabo Mossoró). A edição especial de aniversário foi marcada também pela estreia de novo cenário. No retorno a apresentadora, além da emoção peculiar, aproveitou para agradecer pelo suporte que recebe da empresa e da equipe. “Nesse período que estive afastada foi também para realizar uma nova cirurgia no meu braço, por isso os pinos que vocês vêem no ar e verão por mais um tempo. Sou muito grata pela história que tenho na TCM, pelo carinho e suporte que recebo da direção e de todos que estão me ajudando a tocar o programa durante esse período de recuperação da cirurgia”, conta.
Hoje é dia de estreia do programete 'Um minuto com Aline Linhares' nas nossas redes sociais, especificamente no Instagram @alinelinharesoficial e publicado também na fan page www.facebook.com/AlineLinharesOficial. Com alegria e carinho preparamos e estreamos mais esse contato com você. Vamos falar sobre muitos assuntos e você pode interagir conosco sugerindo os assuntos ou anunciando a sua marca. Tá no ar, 'Um minuto com Aline Linhares'. Espero que goste!
A TV Cabo Mossoró - TCM - promoveu mais uma capacitação aos seus funcionários e colaboradores. A Oficina de Introdução a Linguagem e Direção Fotográfica, voltada para cinegrafistas, assistentes, produtores, editores e operadores de master, teve duração de doze horas. O encontro é mais uma edição do Programa de Atualização Permanente - PAP - oferecido pela empresa periodicamente para melhorar o trabalho dos colaboradores e ofertar o melhor serviço ao assinante. Na oficina, o facilitador Alex Meira expôs conteúdo inovador sobre linguagem audiovisual, narrativa cinematográfica, estudos de planos, fotografia e iluminação. Alex Meira é de Fortaleza, diretor de fotografia, cinegrafista, tem larga experiência na produção de filmes publicitários, documentários, programas de TV, cinema, professor de curso de cinema e participou da produção de filmes pela Europa. 
Atualmente, cerca de 70% da população mundial adulta apresenta algum tipo intolerância à lactose, só no Brasil, esse número chega a 44%. A intolerância à lactose nada mais é que a incapacidade total ou parcial do corpo digerir a lactose, ou seja, o açúcar do leite e de outros produtos lácteos. O que difere da Alergia à Proteína do Leite de Vaca (APLV), essa, é uma resposta adversa do nosso sistema imunológico (nosso sistema de defesa) a alguma das proteínas encontradas no leite. E acomete principalmente crianças entre 0 à 5 anos de idade. A intolerância à lactose apresenta-se de três formas diferentes: Primária: É resultado do envelhecimento. Durante a infância nosso corpo produz bastante lactase (enzima que digere a lactose), mas com o passar dos anos, essa produção diminui e essa baixa produção pode levar a uma intolerância. Secundária: É geralmente temporária e é causada por alguma lesão ou doença que venha a prejudicar a mucosa intestinal, como por exemplo, uma doença celíaca não tratada. A intolerância pode se tornar permanente se a lesão for irreversível, como no caso de alguma cirurgia com ressecção intestinal, onde uma parte doente do intestino é retirada. Congênita: A pessoa já nasce com o problema. É raro, mas pode acontecer da criança já nascer sem produzir lactase. Nesse caso é genético, o pai ou a mãe transmitiram o gene da intolerância para a criança. Hoje em dia já está muito mais fácil conviver com essa intolerância, a indústria apresenta inúmeras versões de produtos sem lactose e até mesmo a própria lactase em compridos, para serem consumidos antes de uma refeição com ou a base de leite. Como também focando nesse grupo, inúmeras receitas “sem lactose” já foram criadas e testadas, na internet fica fácil encontra-las, é só procurar. Os principais grupos de riscos para desenvolver a intolerância são adultos, bebês que nasceram prematuros, pois apresentam menores concentrações de lactase no organismo e pessoas com alguma doença que afete o intestino. Os principais sintomas da intolerância são: Diarreia, inchaço e dores abdominais, náuseas e vômitos. E podem ocorrer de 30 minutos a 2 horas após o consumo da lactose. É preciso ficar atento aos rótulos, qualquer produto que contenha leite ou traços de leite pode levar ao desenvolvimento dos sintomas. Em casos mais graves, até mesmo o consumo de alimentos que tenham passado por utensílios que tenham tido contato com alimentos que contenham lactose pode levar a algum desconforto. Uma opção de leite para os intolerantes são os vegetais, e desses, as variedades são grandes: Leite de arroz, amêndoas, soja, amendoim, linhaça entre outros, geralmente bem fáceis de fazer. O leite de arroz, por exemplo, apresenta textura bem fina, você só vai precisar cozinhar com 1 litro de água para cada xícara de arroz (integral ou branco) por 15 minutos, depois é só bater no liquidificador e coar, tá pronto o leitinho! Se você já é, ou acabou de descobrir essa intolerância, fico feliz em dizer que isso não vai ser o fim do mundo para você, de toda forma, procure um profissional capacitado ele irá te orientar da melhor maneira possível. Marina Castro – Nutricionista – CRN 21432/P
Juscelino Neco, paraibano e ex-aluno do curso de Comunicação Social da UERN, da 1ª turma, está entre os indicados deste ano ao HQ Mix, principal prêmio de quadrinhos do Brasil. Seu álbum Matadores de Unicórnios (Editora Veneta) concorre a melhor Álbum de Aventura, Terror e Fantasia. A lista foi divulgada esta semana e teve o colaborador do site Universo HQ na comissão julgadora, o jornalista Audaci Junior. Este ano, diferente dos anteriores, os autores precisavam inscrever seus trabalhos. As 25 categorias possuem até 10 indicados cada, entre eles vários destaques do ano – entre publicações estrangeiras (como A Gigantesca Barba do Mal, Verões Felizes e a republicação de Lobo Solitário) e nacionais (como Macunaíma em Quadrinhos e as compilações Qiadrinhos dos Anos 10 e Yeshuah Absoluto). Mas o site do prêmio diz que outras categorias ainda serão finalizadas, então outros paraibanos podem fazer companhia a Neco, autor também de Parafusos, Zumbis e Monstros do Espaço e Zumbis para Colorir. Veja os indicados em http://hqmix.com.br/blog/noticias/lista-de-indicados-ao-29-hqmix/
A Câmara de Dirigentes Lojistas de Mossoró (CDL), Associação Comercial Industrial de Mossoró (ACIM), Sindicato da Indústria da Construção Civil de Mossoró (SINDUSCON) e Sindicato do Comércio Varejista de Mossoró (SINDIVAREJO) realizarão nesta quarta-feira, dia 19, o lançamento oficial da campanha Aquece Mossoró 2017. O evento acontece no Teatro Municipal Dix-Huit Rosado, às 19h, onde os convidados vão conhecer a programação e os detalhe da campanha que pretende aquecer o comércio da cidade e da região. Na oportunidade, também serão lançadas a 29ª edição da FICRO (Feira Industrial e Comercial da Região Oeste) e o feirão imobiliário Casa Mix, eventos que estarão dentro da programação geral do Aquece Mossoró entre os dias 13 a 16 de setembro, na Estação das Artes Elizeu Ventania. A campanha inteira ocorre entre os dias 13 e 30 de setembro de 2017. Em seguida, os convidados vão acompanhar a palestra do sócio-fundador da empresa mossoroense Agrícola Famosa Ltda - maior exportadora de frutas do Brasil - Luiz Roberto Barcelos, com o tema “O Potencial do Nordeste Brasileiro”. No momento seguinte, a palestra será proferida por Luiz Barreto Filho, que já foi ministro do Turismo e presidente do Sebrae Nacional, tratando o tema “Cenário para os Pequenos Negócios na Conjuntura Atual”. O encerramento fica por conta do humorista cearense Alex Nogueira, apresentando seu novo show “Alexotan – o seu remédio contra o mau humor”. O Aquece Mossoró é uma iniciativa do setor produtivo mossoroense e tem o objetivo de realizar diversas ações a fim de promover o estímulo ao consumo. O projeto prevê vários eventos e ações durante a programação, incluindo, além da FICRO e Casa Mix, entre os dias 13 e 16, Feira de Turismo, Feirão de Automóveis, Sorteio de Prêmios, Dia Sem Imposto, Feirão de Queima de Estoque e Aplicativo do Aquece Mossoró. O projeto conta com apoio do Governo do Rio Grande do Norte, Prefeitura de Mossoró e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – SEBRAE, escritório regional do Oeste.