Anatel abre consulta pública sobre regras para Internet das Coisas

por Agência Brasil

Os brasileiros podem enviar comentários e sugestões sobre regras para a expansão da chamada Internet das Coisas no país por meio da consulta pública, divulgada no Diário Oficial da União pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) que estará aberta pelos próximos 45 dias. As manifestações enviadas por meio eletrônico ou por carta serão examinadas pela agência e ficarão públicas no site da Biblioteca da agência. No mesmo endereço é possível consultar a proposta original do governo para a regulamentação dessas tecnologias.

As contribuições e sugestões, fundamentadas e identificadas, devem ser encaminhadas, preferencialmente, por meio do formulário eletrônico do Sistema Interativo de Acompanhamento de Consulta Pública (SACP). Também é possível enviar carta, fax ou correspondência eletrônica. Nestes últimos casos, o texto deve ser encaminhado à Superintendência de Planejamento e Regulamentação da agência reguladora, destacando CONSULTA PÚBLICA Nº 39, DE 2 DE AGOSTO DE 2019, endereçado ao Setor de Autarquias Sul – SAUS – Quadra 6, Bloco F, Térreo – Biblioteca, CEP: 70070-940 – Brasília/DF. Para e-mail, as manifestações devem ser encaminhadas para biblioteca@anatel.gov.br

o que é a Internet das Coisas?
Simplificando, este conceito se resume na conexão de qualquer dispositivo capaz de interagir com o mundo ao seu redor e/ou entre si. Isso inclui tudo: celulares, cafeteiras, máquinas de lavar roupa, fones de ouvido, lâmpadas e quase qualquer outra coisa que possamos imaginar. Nessa lista de dispositivos, podemos incluir também componentes de máquinas e veículos, por exemplo, um motor a jato de um avião, a broca de uma plataforma de petróleo ou a esteira de uma linha de produção.

Analistas do Gartner afirmam que, até 2020, haverá mais de 26 bilhões de dispositivos conectados. Para que isso se torne realidade, será necessário centenas de bilhões de conexões sem fio acontecendo simultaneamente. Ou seja, a IoT é uma rede gigante de “coisas”, pessoas e animais conectados. Nela, as interações serão entre pessoas – pessoas, pessoas – coisas e coisas – coisas.

Mais Posts