Amamentação: o que a mãe come irá influenciar?

por Marina Castro – Nutricionista – CRN 21432/P

Durante a edição 2018 da Semana Mundial do Aleitamento Materno que acontece no período de 1 a 7 de agosto, a amamentação é definida como a base da vida. A campanha deste ano, criada pela Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (Waba), foca no poder do leite materno para combater a fome e promover a saúde. O alimento é o ideal para todos os bebês e o mais democrático, já que é igualmente produzido por mulheres de todas as classes sociais, raças, anônimas ou famosas.

Durante o período da amamentação muitas mulheres têm dúvidas sobre como se alimentar e para esclarecer algumas dessas dúvidas, irei fazer algumas considerações:

1 – NÃO EXISTE LEITE FRACO!! Toda mulher é capaz de produzir o leite ideal para amamentar o seu filho. O que pode variar a qualidade do leite materno é a alimentação que a mãe terá durante esse período.

2 – PENSE POR DOIS: Não só durante o aleitamento, uma boa alimentação durante a gestação deve ser prioridade para as mamães. Pois a partir desse momento, tudo que é ingerido pela mãe influenciará na VIDA TODA da criança, até a fase adulta. Pesquisas vêm apontando a nutrição pré-natal e pós-natal inicial como um fator de importante influência a predisposição de algumas doenças crônicas relacionadas à alimentação, incluindo obesidade, hipertensão e doenças cardiovasculares na vida adulta. Não existe alimentos proibidos, mas o excesso de açúcar e sal e por consequências os industrializados devem ser evitados.

3 – O QUE COMER PARA AUMENTAR A QUANTIDADE DE LEITE? Não existe comprovação científica que algum alimento específico aumente a quantidade de leite. O que aumentará a produção é dar de mamar sempre que a criança desejar e manter-se sempre hidratada. Quanto maior a demanda maior a produção!

4 – O QUE DEVO COMER? Tudo, nesse momento quanta mais balanceada e variada a alimentação da mãe melhor. Os alimentos ingeridos irão facilitar inclusive no processo de introdução alimentar da criança. A regra nessa fase é a mesma para a vida, tudo em excesso faz mal e quanto mais natural melhor.

Marina Castro – Nutricionista – CRN 21432/P

Mais Posts