Açúcar: a droga que está nos matando

A ingestão cada vez maior de produtos industrializados pode levar a uma epidemia global!

Nas últimas décadas, a indústria alimentícia passou a utilizar níveis alarmantes de açúcar refinado em produtos de consumo diário.

Um levantamento do Ministério da Saúde aponta que o índice de consumo de bebidas açucaradas já é três vezes maior que há 30 anos. Refrigerantes, por exemplo, não têm qualquer valor nutricional e já equivalem a 19% da média calórica nas áreas metropolitanas do Brasil. Quando colocados juntos a outras bebidas similares, como suco em caixinha e achocolatados, o quadro é ainda pior:  respondem por quase 43% da ingestão de açúcar livre.

O jornalista Gary Taubes explica, em um artigo publicado no jornal The Guardian, as consequências perigosas desse vício contemporâneo: “Imaginemos uma droga que pode intoxicar, energizar e que pode ser administrada via oral. Não tem que ser injetada, fumada ou cheirada para que se possa experimentar seus efeitos sublimes e calmantes. Ela se mistura bem com todos os alimentos, especialmente os líquidos, e, quando é dada aos bebês, provoca uma sensação de prazer tão profunda e intensa que sua busca se transformará em uma força impulsora ao longo de suas vidas”.

O Ministério da Saúde recomenda que pais e responsáveis evitem dar produtos industrializados a crianças e adolescentes. O risco é ainda maior em crianças com menos de 2 anos de idade. Bebidas doces, biscoitos, bolos, bebidas lácteas, pães industrializados e achocolatados estão entre os mais nocivos. 

O consumo excessivo de açúcar provoca diabetes, obesidade, câncer, problemas nos ossos e músculos, além do aumento da pressão arterial. 

Fonte: RT e MINISTÉRIO DA SAÚDE 

Mais Posts